PATROCINIOS

(0 Votes)

alt

Os�©ias viveu no oitavo s�©culo antes de Cristo durante os �ºltimos anos do reino de Israel (o reino dividido do norte) Foi um homem resignado e

centrado a ouvir e obedecer a Deus. Deus usa a figura da pr�³pria fam�­lia de Os�©ias para figurar Sua rela�§�£o com Israel. A mulher de Os�©ias se tornou ad�ºltera, e teve filhos com seus amantes. Apesar de tudo que Os�©ias fez para mostrar o seu amor, ela o trai repetidas vezes mesmo que confrontada constantemente pela fidelidade de seu marido.
N�£o quero hoje falar sobre a rela�§�£o homem x Deus, nem mesmo abordar a quest�£o Israel x Deus, mas abordar �  luz deste livro de Os�©ias a quest�£o relacionamento homem x mulher. Vamos falar de relacionamento conjugal nestas linhas.

1- Tomando por esposa:
Tomar algu�©m por esposa ou esposo significa um vinculo uma alian�§a muito s�©ria e o pedido de Deus a Os�©ias significava que Deus havia escolhido um perfil de esposa para ele e que de alguma forma n�£o teria possibilidades de escolher outro perfil, porque Deus havia dito: â??Uma mulher de prostitui�§�µesâ?. As vezes pensamos, ser�¡ que Deus n�£o tinha uma coisa melhor para Os�©ias? Vale lembrar que Deus n�£o sugeriu quem era a mulher que Os�©ias deveria escolher, mas apenas o perfil desta mulher para cumprir seus prop�³sitos. Pessoalmente eu sempre agrade�§o a Deus por nos dar esta liberdade de escolha. Poder escolher a mulher ou o marido com que queremos nos casar para sempre �© um privil�©gio. Tamb�©m n�£o julgo que Os�©ias tenha escolhido a mulher errada, mas como Deus sempre cumpre seu prop�³sito em n�³s servos Dele, creio que o casamento de Os�©ias, meu casamento e o seu tem um prop�³sito para cumprir, ainda que voc�ª esteja pensando que escolheu a pessoas errada.

2- A Resigna�§�£o �© Necess�¡ria:
Os�©ias poderia ter questionado a Deus o porque de ter que casar-se com aquele figurinha carimbada (Gomer), mas creio que a palavra de Deus ecoava em seus ouvidos: â??Vai, toma por esposaâ?¦â? Em outras palavras, Deus estava dizendo: â??N�£o considere os defeitos, case-se com ela! Eu estou lhe mandando para que eu possa concluir meu prop�³sitoâ?. Neste caso, creio que a resigna�§�£o do profeta o fez calar-se e continuar. Resigna�§�£o �© o que todos precisamos para manter o casamento em tempo de crise. Precisamos nos resignar a viver somente para aquela pessoa com quem casamos por mais defeitos que tenha, para nunca considerar em nossa mente uma experi�ªncia extra-conjugal. O resignado �© resoluto e sabe que a mulher de sua vida �© aquela com quem casou-se e vice e versa e n�£o h�¡ possibilidade nenhuma de considerar uma terceira pessoa. Amado leitor, pense assim: Eu me casei para sempre e vou envelhecer com esta pessoa, custe o que custar. Ningu�©m �© melhor que minha esp!
osa ou esposo. Esta pessoa me completa porque �© diferente de mim.
Sabe amado leitor, ter algu�©m que pensa 100% como pensamos e que concorda 100% conosco seria uma trag�©dia! Eu creio mesmo que n�£o conseguiria viver com uma pessoa que se parece comigo, pensa como eu penso, age como eu de maneira nenhuma. �? a maneira de ser toda especial e diferente de minha esposa que me faz sentir-me atra�­do. A for�§a de nossa rela�§�£o est�¡ em nossa capacidade de dialogo e atitudes de converg�ªncias. Resigne sua vida e seja resoluto em amar, dialogar e convergir por obedi�ªncia a Deus!

3 â?? Amor sentimental x Amor comportamental
â??Vai outra vez, ama uma mulherâ?¦â? (Os�©ias 3:1)
Na quest�£o conjugal, podemos usar duas formas de amor: O amor sentimental e o amor comportamental. Inicialmente, creio que Os�©ias praticou somente o amor comportamental, mas sabemos que a pratica do amor comportamental leva ao nascimento ou crescimento do amor sentimental. Nos tempos de casamentos arranjados pelos pais, tudo come�§ava por este tipo de amor, o comportamental, e as coisas aconteciam gradativamente e surgia ent�£o o sentimento ao ponto de envelhecerem juntos em fidelidade, gerando filhos e netos. Entendo ent�£o que o amor sentimental encheu o cora�§�£o do profeta enquanto convivia com Gomer e caminhava em obedi�ªncia a Deus. â??Vai, toma por esposaâ?¦â?.
Vamos abordar mais sobre a quest�£o sentimento x Comportamento: â??�? poss�­vel que sua rela�§�£o em um tempo ou outro se veja desprovido de sentimento e isto n�£o �© nada bom, porque o sentimento �© paix�£o que aquece a rela�§�£o, sentimento traz sensa�§�£o de bem estar, de realiza�§�£o e nos converge um ao outro, mas quando n�£o h�¡ sentimento h�¡ maiores diverg�ªncias. Creio que Os�©ias aplicou o amor comportamental enquanto n�£o aflorava o sentimento, e como, ent�£o aplicar o amor comportamental para reativar o sentimento?
Somente a pratica do amor comportamental poder�¡ reativar o amor sentimental e isto �© feito por atitudes de converg�ªncias que �© igual a ignorar os defeitos. �? uma mudan�§a de vis�£o! �? poss�­vel voc�ª colocar uma trava de seguran�§a em sua mente que broquear�¡ seu senso critico com rela�§�£o ao seu c�´njuge, mas n�£o d�¡ para entrar neste assunto neste artigo. Inicialmente, siga estes conselhos: Aprenda a viver n�£o criticando constantemente atitudes do c�´njuge, n�£o tentando concertar tudo de uma s�³ vez, mas, elogiando as qualidades, dando presentes, fazendo declara�§�µes de amor, se entregando em sinceridade e respeito, aprendendo a viver resignado ao comando de Deus que diz: â??V�³s, maridos, amai a vossas mulheres, como tamb�©m Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela,â? (Efesios 5:25) Claro que se voc�ª est�¡ lendo este artigo e �© uma mulher deve aplicar estes conceitos em sua vida porque a palavra �© para homens e mulheres. O amor comportamental!
�© atitude! �? uma decis�£o que se toma de se comportar com atitudes de amor.

4 â?? O orgulho de Os�©ias foi para o espa�§o.
â??â?¦porque diz: Irei ap�³s os meus amantes, que me d�£o o meu p�£o e a minha �¡gua, a minha l�£ e o meu linho, o meu �³leo e as minhas bebidas.â? (Os�©ias 2:5)
Eu vejo o profeta Os�©ias andando pelas ruas e as pessoas falando por suas costas: â??L�¡ est�¡ o marido da prostituta, l�¡ est�¡ o chifrudo!, Olha que bobalh�£o, etc.â? As vezes penso se algu�©m de n�³s ag�¼entaria isto nos dias de hoje, creio que nosso orgulho n�£o nos deixaria continuar nesta rela�§�£o.
N�£o vou entrar na quest�£o pecado sexual aqui, mas puramente na quest�£o orgulho que �© algo que tem causado trag�©dias em rela�§�µes conjugais no mundo todo. Orgulho �© algo extremamente pernicioso para uma rela�§�£o. Um marido me disse um dia, Pr. Rildo, eu n�£o estou conversando com minha mulher ha quase um m�ªs. Eu espantado perguntei porque, e ele disse: â?? N�³s discutimos por besteira e ent�£o ela n�£o fala comigo eu tamb�©m n�£o falo nada. Eu que n�£o vou ceder, n�£o fiz nada!â? O orgulho neste exemplo t�£o constante na vida de casais nos leva de novo a olhar como este profeta Os�©ias conseguiu se esvaziar de si mesmo em uma rela�§�£o que s�³ ele amava, s�³ ele dava passos de converg�ªncias, s�³ ele perdoava, s�³ ele era fiel, s�³ ele desejava manter a rela�§�£o.
Voc�ª est�¡ disposto(a) a deixar de ser orgulhoso(a) para manter sua rela�§�£o saud�¡vel? Voc�ª estaria disposto a simplesmente obedecer a ordem de Deus de ser esposa ou esposo fiel? Os�©ias n�£o considerou que deixar o orgulho de lado fosse um pre�§o alto demais para se pagar para manter seu casamento. Voc�ª acha que �© muito caro este pre�§o que tem que pagar? Digo-lhe vale a pena! E voc�ª ter�¡, mais cedo ou tarde que pagar este pre�§o.
Se voc�ª amado leitor, n�£o aprender a lidar com seus orgulhos bobos, vai passar muitas noites solit�¡rias, com muitos rancores no cora�§�£o, sua casa ser�¡ lugar de guerras e n�£o de paz, suas ora�§�µes n�£o ser�£o ouvidas por Deus e sua vida vai para traz ao inv�©s de ir para frente e destruir�¡ certamente o projeto de Deus para seu casamento. Os�©ias sabia que seu casamento era um projeto de Deus! Seu casamento �© um projeto de Deus!
5 â?? Os�©ias pagou o pre�§o por sua esposa.
â??Disse-me o Senhor: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e ad�ºltera, como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles se desviem para outros deuses, e amem passas de uvas. Assim eu comprei para mim tal mulher por quinze pe�§as de prata, e um h�´mer e meio de cevada; e lhe disse: Por muitos dias tu ficar�¡s esperando por mim; n�£o te prostituir�¡s, nem ser�¡s mulher de outro homem; assim tamb�©m eu esperarei por ti.â? (Os�©ias 3: 1-3)
Uma mulher que muitos poderiam ter dito: â??Foi tarde!, que tranqueira, Deus me livrou, etc. Os�©ias tra�­do, abandonado, envergonhado, porque nestas horas sempre aparece algu�©m dizendo: Eu te avisei! Este homem vai busc�¡-la de volta a semelhan�§a da palavras de Jesus que diz que assim como Cristo Amou a Igreja ame sua mulher. ( ef: 5:25) E al�©m disto teria que investir dinheiro, um alto valor para t�ª-la de volta. Cerca de 500 litros de cevada e 15 pe�§as de Prata que eram barras usadas para pagamento.
Quanto voc�ª pagaria ou investiria por seu c�´njuge para honrar a palavra do Senhor de am�¡-lo (a)? Vou pedir que voc�ª invista em paci�ªncia, toler�¢ncia, respeito, confian�§a. Vou pedir que voc�ª honre a Palavra de Deus e tenha o Senhor como um elo forte entre voc�ªs dois. Investimento em nosso c�´njuge nunca �© demais.
â??Quem �© s�¡bio, para que entenda estas coisas? prudente, para que as saiba? porque os caminhos do Senhor s�£o retos, e os justos andar�£o neles; mas os transgressores neles cair�£o.â? (Os�©ias 14:9)
Este �© simplesmente um rascunho sobre o assunto inesgot�¡vel que �© a rela�§�£o conjugal. Que o Senhor, atrav�©s deste lhe d�ª lampejos e abra mais sua vis�£o.

OUVIR NO CELULAR

      


ASSISTA VIDEO Pr ROBERVAL

ASSISTA AGORA  VIDEO PASTOR

 CLICK NESSE LINK EM VERMELHO

https://youtu.be/9CX0ELb7XLI

PATROCINIO

Estatisticas

OBRIGADO PELO SUA VISITA.
226269
HojeHoje40
OntemOntem53
Esta semanaEsta semana467
Este m�ªsEste m�ªs1896
Todos os diasTodos os dias2262697
QUE DEUS O ABENÃ??OE